Exposição no Royal Plaza Shopping

16.11.2011

De 16 a 21 de novembro de 2010, Simone Rosa expôs a série intitulada como PRESENÇA X AUSÊNCIA: fragmentações da vida cotidiana. A artista acredita que todas as séries produzidas em seu ateliê devem ser expostas, por isso organizou esta exposição. Comenta que: "estava frustrada pelo fato de que essas telas iriam direto para as galerias de arte em dezembro sem eu ter montado uma exposição. O fato de expor serve não só para mostrar ao publico, como também oportuniza uma apreciação e discussão a cerca do que produzi".

Com esta temática, a artista Simone Rosa mescla, em suas pinturas, os "cenários insólitos" (série iniciada em 1988) com as "encenações" (primeiro tema norteador de sua obra), ou seja, mobiliários vazios e corpos com diversas faces, representados por meio da transparência e sobreposição. Este tema simboliza as experiências e angústias da vida cotidiana, onde procura instigar para onde vão os caminhos da vida e como estamos presentes e ausentes em diversos momentos.

Nesta exposição, a artista apresenta telas produzidas em 2010. Em sua poética afirma que possui uma "busca ao insólito", pois mistura diferentes referências formais de períodos distintos, para atingir imagens inusitadas, fora do convencional. Com isso, a artista afirma que cada obra não possui uma narrativa específica, pois, ela quer provocar uma diversidade de narrativas individuais e instigar a imaginação.

Suas telas referem-se a fragmentação do sujeito contemporâneo, por meio da representação de várias faces, máscaras e corpos femininos mesclados a diferentes mobiliários e objetos. A representação de corpos femininos nus resgata o mesmo distanciamento existente nas representações da pintura clássica, as quais não se restringem aos aspectos físicos, a implicação da sensualidade é sutil, o nu não é erótico - o que o nu revela é que não há nada a revelar. Assim, o nu não representa um corpo feminino, mas uma ideia de mulher, que traz valores e condicionamentos.

Em suas telas usa figuras femininas, arabescos, padronagens e mobiliários e objetos antigos, sem enfatizar o estilo e época de cada um. A contemporaneidade de sua obra está no fato de compor esses distintos elementos referendando o conceito de "mestiçagem". A temática apresentada, nesta exposição, vem sendo redesenhada periodicamente desde o início de sua carreira. Fica o convite para visitarem esta exposição e, o incentivo a liberarem sua imaginação nas múltiplas interpretações possíveis, nas associações insólitas das imagens.

 

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

Compartilhe no Facebook
Please reload

Recentes

Please reload